5 Principais erros internos que prejudicam na produtividade de uma empresa

5 Principais erros internos que prejudicam na produtividade de uma empresa

O ano de 2020 ficará marcado para sempre na história da humanidade. Pegando a todos de surpresa, o avanço da Covid-19 preocupa todas as nações ao redor do planeta. Junto as milhares de mortes que são noticiadas todos os dias, é anunciado também o assustador número de pequenas empresas pedindo socorro ou decretando falência.

Praticamente todos os setores da economia foram atingidos, fazendo com que a produtividade e os lucros caíssem drasticamente. Como se não bastasse a crise de saúde e sua consequente (porém inevitável) crise econômica, o Brasil ainda enfrenta um de seus momentos de maior instabilidade política. Com as previsões sombrias para o futuro segundo os especialistas, já é perceptível uma mudança no comportamento das pessoas, que estão cada vez mais receosas quando se trata de aquisição de bens de consumo.

Para contornar toda essa situação, empresários precisarão fazer muito mais do que apenas investir capital, contratar funcionários ou aprimorar sua estrutura da produção. Será necessário mais do que nunca voltar o olhar mais para dentro de suas próprias organizações, corrigindo erros e vícios já estabelecidos e que são prejudiciais para seu desempenho.

Neste texto, discutiremos então os 5 principais erros internos que prejudicam na performance e produtividade de uma empresa.

Processos não padronizados

A padronização de processos, de menor à maior complexidade, é fundamental para alavancar a produtividade de uma empresa. Quando não há um padrão definido, os funcionários muitas vezes acabam executando uma mesma operação de diferentes maneiras, e mesmo que o resultado final desejado seja alcançado, será de forma penosa e com maiores gastos de tempo e energia. Isso acontece porque sem um padrão as chances de surgirem imprevistos, dúvidas, atrasos e complicações são infinitamente maiores. 

Portanto, é de extrema importância o mapeamento de todos os processos internos, estabelecendo padrões de execução e identificando as principais adversidades e suas respectivas ações corretivas. Assim, será possível não somente aumentar a produtividade, mas também contornar eventuais problemas de maneira mais ágil e ainda economizar tempo e recursos.

Ausência de planejamento

Um planejamento estratégico é essencial para toda e qualquer empresa. Resumidamente, trata-se de um plano mestre no qual são definidas de forma clara as metas da empresa, analisados seus pontos fortes e fracos e pesquisadas as oportunidades oferecidas pelo mercado, para que então seja possível elaborar planos de ação seguindo as melhores estratégias capazes de conduzir a organização até onde ela almeja chegar. As consequências da ausência de planejamento afetam diretamente no desemprenho e na produtividade de uma empresa, podendo ser citadas como as principais delas a dificuldade de crescimento, maior sensibilidade a crises econômicas e políticas, desconhecimento das dificuldades da própria organização e, por último, maiores custos com situações que poderiam ser evitadas. 

Um erro muito comum também é a definição de metas utópicas e inatingíveis, que ao invés de impulsionar a produtividade da empresa, frustram e desestimulam gestores e todos os times da organização. Por mais que ambição e ousadia sejam fundamentais naqueles que querem se destacar, é necessário ser o mais honesto e realista possível na hora de traçar um planejamento, para que algo inicialmente benéfico não acabe causando o efeito contrário. 

Falta de Monitoramento

Tão importante quanto o planejamento, um monitoramento contínuo é indispensável  

para que seja possível avaliar a evolução dos resultados. Sem que haja um monitoramento, os gestores de uma organização tornam-se incapazes de medir o desempenho de diferentes departamentos, identificar possíveis problemas ao longo do caminho e tudo aquilo que se foi estabelecido no planejamento estratégico corre o risco de se tornar em vão. 

Uma das formas mais inteligentes de fazer o monitoramento de uma empresa é através da utilização de indicadores de desempenho, conhecidos como KPIs, que ao transformar dados triviais em conhecimento, proporcionam uma visão mais clara sobre o andamento da empresa como um todo, permitindo assim a realização de ajustes, previsões e tomadas de decisão mais rápidas. Quando compartilhados com os funcionários, os KPIs também funcionam como uma ferramenta de inclusão, por facilitar seu entendimento a respeito da organização e ampliar os sentimentos de importância e pertencimento.

Falhas de Comunicação

A qualidade de comunicação dentro de uma empresa é fundamental no dia a dia de trabalho e influencia diretamente na produtividade e nos resultados. Nesse contexto os principais problemas são a falha de comunicação entre equipes internas e a perda de informações importantes, que muitas vezes acabam passando despercebidas por muitos funcionários, seja devido a rotinas cada vez mais intensas ou até mesmo por uma possível sobrecarga de informações.

Uma forma de contornar esse tipo de problema é investir em outras ferramentas de comunicação, adotando aquelas que melhor se adaptarem a realidade da empresa. Mais importante do que apenas oferecer acesso a essas tecnologias, a empresa deve também focar na capacitação dos funcionários afim de garantir o real domínio sobre essas ferramentas e estabelecer regulamentos internos para o tempo de resposta. É importante também tomar cuidado com excesso de e-mails e mensagens aos funcionários, evitando assim desperdício de tempo e perda de informações importantes.

Clima Organizacional danoso

Outro problema relacionado ao item anterior e que influencia diretamente na produtividade de uma empresa é um mau clima organizacional, que se reflete em desmotivação e baixo rendimento dos membros. Uma das principais causas que explicam essa condição é uma possível unilateralidade comunicacional, que se resume basicamente em dar e acatar ordens, chegando muitas vezes próximo de serem autoritárias. É necessário dar voz aos funcionários, dar espaço e fazer com que eles se sintam confortáveis em colaborar com suas próprias ideias, opiniões e pontos de vista, permitindo assim que eles participem de forma mais eficaz de processos internos. 

Outro fator que pode ser relacionado à desmotivação é a falta de uma cultura de feedbacks, que demonstra despreocupação da empresa com o desempenho de seus funcionários e consente com que eles continuem repetindo os mesmos “erros”. Líderes, ao expor suas críticas e elogios, permitem aos colaboradores identificar seus pontos positivos, negativos e em quais aspectos eles precisam melhorar, auxiliando assim na sua evolução dentro de empresa e aumentando seu nível de satisfação.

Se identificou com alguma dessas questões? 

Uma das principais saídas encontradas pelos empresários para contornar essas situações são os serviços de consultoria, e neste link é possível entender sua importância para empresas.  

Ficou interessado? 

Caso queira mais informações sobre o serviço ou se deseja realizar este serviço conosco, entre em contato e marque uma reunião sem compromisso!

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *