Como iniciar seu negócio com o pé direito

Como iniciar seu negócio com o pé direito

Você sabia que, de acordo com os últimos dados coletados pelo IBGE relativos à taxa de sobrevivência de novas empresas entre 2012 e 2016, apenas 47,2% delas permaneceram ativas após esse período? Ou seja, aproximadamente metade das novas empresas fecham em um período de cinco anos de atividade. E não para por aí! Ainda de acordo com dados do IBGE, foi notificado que 15,2% das novas empresas não sobreviveram ao ano de 2017.

Infelizmente, grande parte das falências ocorrem, dentre outros fatores, devido à falta de um planejamento antes de iniciar o negócio. E é por isso que, através deste texto, buscaremos lhe orientar sobre uma ferramenta extremamente importante chamada Plano de Negócios. 

Então, o que é o Plano de Negócios?

Ele consiste basicamente em um documento que será capaz de transformar todas as suas ideias em algo mais palpável e organizado antes de você começar um novo empreendimento. Isso inclui informações sobre a sua área de atuação, concorrentes, fornecedores, clientes potenciais, produto a ser vendido, melhor localização e, principalmente, fornece uma análise dos pontos críticos do seu negócio. 

E por que ele é importante para você?

O principal motivo para fazê-lo é que através desse planejamento o empreendedor pode estudar a viabilidade de iniciar sua empresa e ter mais segurança. Dessa forma, podemos enumerar alguns benefícios com a utilização dessa ferramenta:

  • Analisar as oportunidades e o mercado;
  • Diminuir riscos do investimento;
  • Antecipar-se a erros que podem ocorrer e evitá-los;
  • Criar um planejamento estratégico, aumentando a possibilidade de sucesso;
  • Apresentar a empresa a potenciais investidores;

Como desenvolver um Plano de negócios em 5 passos?

  1. Sumário Executivo

Esta etapa é simplesmente um sumário contendo os principais pontos do seu planejamento. Além disso, também é importante constar informações da empresa como:

  • Resumo do negócio – o que representa e como colocá-lo em ação;
  • Missão e valores da empresa;
  • Dados dos empreendedores (como experiência profissional) e do empreendimento;
  • Esfera de atividades;
  • Capital social e fonte de recursos;
  • Sistema jurídico e tributação;
  • Análise de mercado

Como o maior objetivo é fornecer o serviço ou produto, então começamos pela análise do cliente. Devem ser coletados vários dados como faixa etária, sexo (maioria da clientela é masculina ou feminina), escolaridade, frequência de compra, dentre outros. Com essas informações, será possível criar um plano de ação mais atraente para os clientes.

Outro ponto que se faz muito necessário é o estudo dos concorrentes. Primeiramente identificando quem eles são e, se possível, fazendo visitas em seus estabelecimentos. A partir dessa pesquisa, podem-se verificar aspectos essenciais do concorrente como preço, qualidade dos materiais empregados e da prestação de serviços, localização, métodos de pagamento, segurança ofertada ao cliente e disponibilização de atendimento (delivery, horário de funcionamento etc.).

Por fim, a análise dos fornecedores também é de suma importância. A este respeito, devem ser reunidas informações bem parecidas com as da pesquisa do concorrente. Se destacam o preço, qualidade, métodos de pagamento, taxa e prazo de entrega, dentre outros.

  • Plano de Marketing

Qual é o seu produto ou serviço? Ambos devem ser informados detalhadamente, especificando cor, modelo, rótulo, marca, tamanho etc.

Outro ponto essencial é o preço. Qual preço seria bem aceito no seu mercado e te traria lucratividade?

Quem não gosta de uma promoção, né? Portanto, também é essencial fazer um planejamento promocional. Entre as estratégias podemos citar descontos, brindes, cartão de fidelidade, amostras grátis, dentre outros.

Como seu produto ou serviço chega ao cliente? Aqui, o ponto principal é a forma de comercialização. Internet, loja física, entregas em domicílio, atendimento por redes sociais, tudo isso deve ser levado em conta e detalhado.

  • Plano Operacional

O objetivo desta etapa é estabelecer os detalhes sobre a produção. Um Layout físico pode ser criado para definir a quantidade de setores da empresa e a organização dos recursos que serão utilizados. Através deste, há maior facilidade em aumentar a produtividade, diminuir o desperdício e facilitar a comunicação.

Padronizar os processos operacionais também é de suma importância, pois dessa forma as tarefas de cada funcionário podem ser definidas, bem como suas responsabilidades em cada setor. Isso auxiliará no momento da contratação, buscando experiência e delineando a quantidade de trabalhadores necessária.

  • Plano Financeiro

Para finalizar, essa é a parte que não poderia faltar já que sem investimento não dá pra abrir um negócio, né? Podemos dividir em três partes principais:

  • Investimentos fixos e pré-operacionais – todo o capital utilizado para compra dos equipamentos e materiais para iniciar a produção, bem como os gastos devido à reforma e registro jurídico;
  • Capital de giro – quantia necessária para a empresa operar continuamente, levando em conta a compra de mercadorias e pagamento de despesas, fornecedores e tributos;
  • Demonstrativo de resultados – é o balanço que leva em conta a estimativa da lucratividade da empresa e o investimento total juntamente com o capital de giro, chegando à conclusão se o negócio realmente pode ser lucrativo;

Portanto, a importância de um bom Plano de Negócios para começar com o pé direito é fundamental, visto que ele fornece todas as informações vitais para que você tenha sucesso. Ademais, lembre-se que quanto mais informações você tem, maior será sua habilidade em manipular situações cotidianas a seu favor, levando-o assim ao êxito que você sempre desejou.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *